445.222
Árvores plantadas
65.478.467
Rolhas recolhidas

Relatórios

Campanha (re)arborização 2010/11  – Projeto Bosques do Centenário

No âmbito das comemorações do “Centenário da República Portuguesa”, pretendeu-se associar esta efeméride histórica ao “Ano Internacional da Biodiversidade” através da implantação de monumentos vivos nos Municípios portugueses, constituídos por 100 plantas (árvores/arbustos) autóctones portuguesas, e que se deu o nome de “Bosques do Centenário”. Para implementar este projecto, ao qual aderiram cerca de oitenta municípios. Para levar a cabo este projecto, foi estabelecido um protocolo entre a Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República, a Associação Nacional de Municípios Portugueses, a Autoridade Florestal Nacional e a Quercus. No âmbito deste projecto foram plantadas 8.415 árvores e arbustos autóctones. Perante resultados e experiência obtidos, foi consensual a percepção sobre a necessidade de dar continuidade a um projecto de incentivo à reflorestação com espécies autóctones. É neste contexto que surge o projecto “Floresta Comum”.

Relatório Bosques do Centenário – campanha 2010/11 (711 kB)

Campanha (re)arborização 2011/12 –  Ano Zero Floresta Comum

No ano zero deste programa, realizou-se um projeto piloto que visava testar o modelo de oferta de plantas a projetos que começavam a dar os primeiros passos no desenvolvimento de parcerias com várias autarquias.  O projeto piloto foi “100.000 ÁRVORES NA ÁREA METROPOLITANA DO PORTO”. Pretende-se com esta iniciativa (re)arborizar (e cuidar) cerca de 100 hectares de áreas ardidas, livres ou que necessitam de reconversão com cerca de 100.000 árvores de espécies espontâneas da região ao mesmo tempo que se espera informar e formar os cidadãos da região sobre a floresta e estimular o voluntariado florestal. O projeto iniciou em 2011 e tem um horizonte de cinco anos para o cumprimento desta meta.

O projeto é uma das consequências do Plano Estratégico de Ambiente da Área Metropolitana do Porto (2003-2008) no qual se identificou que apesar de mais de 40% território da Área Metropolitana do Porto estar ocupado por floresta, os bosques nativos são escassos e cobrem menos de 6% desta área. O Plano concluiu ainda que uma das prioridades regionais é a educação, sensibilização e formação para as questões da sustentabilidade.

Através do Green Cork, projeto de reciclagem de rolhas de Cortiça, ofereceram-se no primeiro ano 16.753 plantas para este projeto, que visa (re)arborizar cerca de 100 hectares de áreas ardidas, livres ou que necessitam de reconversão.

No âmbito deste projeto foi ainda lançado um roteiro de formação – Embaixadores da Floresta. É um curso para conhecer a história das nossas florestas, aprender a identificar espécies de árvores autóctones e a reconhecer os benefícios ambientais, sociais e económicos das áreas florestais.

Relatório Floresta Comum – Ano Zero, campanha 2011/12 (1 MB)

Campanha (re)arborização 2012/13 – Floresta Comum

Foi durante este ano que verdadeiramente se deu início ao projeto FLORESTA COMUM. Usando apenas as árvores que estavam disponíveis nos quatro viveiros  do projecto, procedeu-se a abertura de um período de candidaturas, avaliação e distribuição de árvores. Durante o período de submissão de propostas, foram apresentadas 77 candidaturas ao Floresta Comum por parte dos Municípios, foram solicitadas 132.624 árvores. Durante o período de plantação, muitos outros pedidos foram apresentados, aos quais não se deu resposta uma vez que estavam fora dos prazos de formulação de candidaturas, o que por um lado sugere que deve haver uma melhor divulgação da iniciativa. No entanto, parece que o envolvimento dos Municípios portugueses na reflorestação tornou-se claro. Dadas as disponibilidades dos viveiros foram reservadas um total de 86.149 árvores. No final foram distribuídas 52.158 plantas por 50 municípios.

Relatório Floresta Comum – campanha 2012/13 (2 MB)

Campanha (re)arborização 2013/14 – Floresta Comum

De outubro de 2013 a fevereiro de 2014 decorreu o segundo ano de (re)arborização apoiado pelo projeto Floresta Comum, sendo contudo a terceira campanha de (re)arborização apoiada pelo projeto, tendo em conta a campanha 2011/12, o ano zero do projeto. Nesta campanha 2013/14, promoveu-se a plantação de 92.913 plantas autóctones, (mais 78% do que na campanha anterior) quase que se duplicou o número de plantas utilizadas na campanha anterior, que foi de 52.158. As ações de (re)arborização decorreram em 67 municípios e compreenderam 28 espécies.

Relatório Floresta Comum – campanha 2013/14 (2,5 MB)

Campanha (re)arborização 2014/15 – Floresta Comum

De outubro de 2014 a fevereiro de 2015 promoveu-se a plantação de 121.560 plantas autóctones, (mais 31% do que na campanha anterior), em ações de (re)arborização que decorreram em 59 municípios e compreenderam 35 diferentes espécies, sendo 100.519 em projetos florestais, de conservação da natureza e de recuperação da biodiversidade, 16.337 em projetos educativos e 4.704 em projetos de parques florestais urbanos.

Relatório Floresta Comum – campanha 2014/15 (2,8 MB)